Página de posts do Blog

15 de abril 2020

E de repente, a vida nos prega uma surpresa!

Escolas fechadas, pais trabalhando de casa, outros saindo para trabalhar. Crianças em casa, vídeo aulas, tarefas domésticas para serem feitas… Isolamento social! Pandemia! COVID-19!

Estamos navegando por mares nunca d’antes navegados… O novo causa para cada um uma emoção diferente ou uma comoção diferente… Cada um vai administrando isso a sua maneira e se reinventando, se redescobrindo…

A casa virou o único espaço de convivência para muitas famílias. E que bom que temos uma casa! Não é assim para todos, infelizmente, nós o sabemos…

Então, mesmo no meio desta balbúrdia causada por este vírus (Covid 19) que virou o mundo de pernas para o ar, é hora de descobrir em cada um de nós o que tem para agradecer. É isso que nos fortalecerá e nos permitirá ajudar nossas crianças.

Não é hora de ficar reclamando. Respire fundo. Vença um leão por dia, um dia de cada vez.

Mas de vez em quando permita-se ficar triste, só não deixe a tristeza “morar” em você, nem a angústia, nem a raiva… Todos estes sentimentos humanos que passam por nós algumas vezes. E ninguém disse que a gente tem que ser perfeito, não somos, somos humanos… 

Sempre que tenho na minha vida um desafio eu me pergunto o que tenho que aprender. Já vivi mais que a maioria de vocês, e já aprendi que vamos aprendendo a cada dia.

Nesse tempo em que pouco podemos exercer o controle das situações, o que não nos deixa tão confortáveis, precisamos pensar no que realmente podemos controlar.

O equilíbrio dos adultos vai se refletir no comportamento das crianças. Você não precisa ficar inventando coisas mirabolantes para distraí-las. Só precisa organizar sua casa para que e as crianças possam brincar livres, viver este momento e no jogo simbólico do livre brincar, elaborarem suas impressões dos fatos que estão vivendo.

As crianças também vivem as preocupações com o inusitado destes tempos de pandemia. Elas ouvem as conversas dos adultos, alguns vêem os noticiários, ouvem falar de pandemia, coronavírus ou Covid 19, mortes, sentem os pais preocupados com tantas coisas que não sabem imaginar.

Em casa, longe dos amigos, dos avós, das brincadeiras na escola. Sentem saudade disso tudo, mas a sua forma de expressar-se não é a mesma do adulto. 

Muitas vezes, portanto, o comportamento mais agitado ou mais angustiado é atribuído ao excesso de energia, que não tem sido gasta nas casas. Penso que elas estão sofrendo as mudanças no dia a dia a que estavam acostumadas, e não entendem o porquê. Ouvem as conversas dos adulto e pensam coisas. Na maioria das vezes não entendem e não sabem ainda lidar com as emoções,  muitas vezes não encontram respostas então podem acontecer os choros, os gritos a agitação, a recusa da alimentação, as brigas entre os irmãos.

Conviver em tempo integral é tão novo para elas… Então é importante que se tenha escuta de verdade para as falas das crianças, sem julgamentos, sem pré-conceitos.

Estamos tendo no meio deste furacão uma oportunidade única como pais, de uma convivência próxima de nossos filhos, 24 horas por dia.  Mas isso não é nada fácil!

Mas se olharmos pelo lado positivo, são muitas as coisas boas! Podemos observar todas as suas reações, acompanhar de pertinho o que sabem fazer, ou o que ainda não sabem. Esta é uma oportunidade única e tem que ficar marcada como uma boa lembrança na vida das crianças. Mesmo vivendo tantos sentimentos contraditórios,  fortalecendo-as para encontrarem seu papel no mundo novo que se anuncia. Portanto, precisamos ouvir as crianças, elas precisam muito de espaço para o livre brincar, na casa e nos dias.

É por isso que dizemos que a organização da vida da comunidade familiar é importante para as crianças, mas não pode ser imposta: precisa ser construída. Precisamos fazer tudo isso com muito amor, acolhimento, e sobretudo respeitando o ritmo da criança. 

Essa é a nossa oportunidade de nos tornarmos pessoas melhores, de darmos aos nossos filhos o que eles precisam sempre e muito mais agora: amor, atenção e cuidados.

Nós aqui da Aldeia Montessori estamos nos empenhando em proporcionar bons momentos para as crianças, de distribuir afeto, de viver o prazer de estarmos juntos, de fortalecer vínculos, de viver em comunidade, de compartilhar, de respeitar o outro. Essas são as verdadeiras aprendizagens que ficam para sempre. Tudo o mais que as crianças precisam aprender, elas aprenderão com facilidade na volta à escola, e se estiverem fortalecidas, maior será o sucesso.

Para nós adultos, é tempo de servir para a criança, de cuidar para que saiam fortalecidas dessa experiência de vida, que nos pegou de surpresa.

Fiquem bem! Sejam pacientes com vocês mesmos! Só assim vocês poderão ser pacientes com as crianças.

Márcia Righetti é educadora, fundadora e diretora pedagógica da Aldeia Montessori e do Centro de Estudos Montessori do Rio de Janeiro, coach em Formação Montessori, especialista Montessori pela ABEM, Seton Montessori Institute (Chicago, EUA), CEM, Chile.